A ARTE DE ESCOLHER

Para chegarmos a uma determinada escolha precisamos cumprir sempre um ritual que passa sempre por caminhos complexos e inconscientes.

Por isto devemos ficar atentos às ações necessárias para que possamos efetivar nossas escolhas de forma satisfatória. Pois as nossas escolhas na maioria das vezes são determinantes na conformação do nosso destino e da qualidade da nossa vida cotidiana.

Antes de mais nada, quando o assunto é escolha, precisamos saber nos localizar em qual das três situações abaixo estaremos atuando:

1ª situação:

Temos apenas uma opção na hora da nossa escolha. Assim nossa escolha está embutida num contexto escasso de possibilidades e esta nossa situação pode se tornar progressivamente crítica;

2ª situação:

Temos apenas duas opções na hora da nossa escolha. Assim nossa escolha pode se tornar complexa, porque poderemos estar diante de duas opções contraditórias e às vezes até igualmente insatisfatórias no momento da nossa escolha. Esta situação pode se agravar quando ela se transforma num dilema para nós e não conseguimos encontrar uma nova alternativa que se contrapõe às duas apresentadas para aquele momento;

Na nossa 3ª situação:

Poderemos estar diante de três ou mais opções na hora de escolher. Sem dúvidas esta situação poderá ser mais vantajosa para nós, porque o horizonte da nossa escolha passa a ser mais abundante em opções.

Devido à complexidade do ato de escolher pelo prisma exposto acima, precisamos dizer também que nossas escolhas estarão sempre sujeitas ao contexto da ocasião na qual elas estão inseridas e também à sincronicidade ou a nossa sorte no momento que usamos nosso livre arbítrio e nossa autonomia para escolher.

Apesar das dúvidas surgidas durante a implementação de cada uma de nossas escolhas, precisamos adquirir continuadamente mais agilidade mental para escolhermos e validarmos melhor os caminhos apresentados a nós pelas pequenas e grandes encruzilhadas da vida.

Não podemos jamais perder de vista:

Que uma escolha feita agora, pode não ser definitiva, pois, o contexto de uma escolha pode mudar ao longo do tempo, por isso, muitas vezes precisamos ter habilidade para refazer e até abortar uma escolha já consolidada;

E, que nosso presente e nosso futuro sempre resulta do determinismo imposto a nós, por todas as escolhas que já fizemos ao longo da vida que já vivemos.

Neste ponto da nossa conversa, surge a pergunta:

Estamos realmente habilitados para observar, perceber e compreender o mundo que nos cerca?

Um beijo no coração de todos, Luiz Carlos Faria. 

2.990 thoughts on “A ARTE DE ESCOLHER